Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Espaço de Convívio e Lazer de Cambezes abriu portas

Cabeceiras de Basto dispõe agora de 15 ECL

14 de outubro de 2013
Espaço de Convívio e Lazer de Cambezes abriu portas
Os Presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal, Eng.º Joaquim Barreto e Dr. Serafim China Pereira, procederam ontem, dia 13 de outubro, à inauguração de mais um Espaço de Convívio e Lazer [ECL], desta feita em Cambezes, na freguesia de Riodouro.
A abertura do novo espaço - o 15.º existente no concelho – que contou também com a presença do Presidente da Junta de Freguesia, Serafim Barros Pereira, demais autarcas da freguesia e do Município e população em geral, tem como principais objetivos combater o isolamento e promover a qualidade de vida da população idosa, incentivando a inclusão social e as relações interpessoais e intergeracionais, ao mesmo tempo que contribui para o envelhecimento ativo desta faixa etária da população cabeceirense.

De referir que o ECL de Cambezes resulta da adaptação da antiga casa da professora daquela localidade, que uma vez devoluta, sofreu obras de requalificação para, doravante, acolher os idosos desta e de outras aldeias limítrofes.

Com a abertura do novo espaço, o segundo na freguesia de Riodouro, já que o primeiro se localiza na antiga escola primária de Eiró, os utentes podem usufruir de atividades lúdicas e desportivas, a par da estreita convivência com os seus conterrâneos. Para o efeito foi estabelecido um protocolo de colaboração entre a Junta de Freguesia de Riodouro, a Associação ‘Os vizinhos de Cambezes’ e a Cooperativa Basto Vida, tendo em vista a gestão, a dinamização e a promoção de iniciativas diversas naquele novo equipamento.

Dezenas de pessoas participaram na inauguração deste Espaço, cerimónia na qual o presidente da Câmara Municipal, Eng.º Joaquim Barreto, se mostrou “particularmente feliz por estar a cumprir” os seus deveres como autarca, explicando que “quando somos eleitos somo-lo para servir o povo” e o novo ECL de Cambezes reflete isso mesmo, já que vem satisfazer uma pretensão da população.

O autarca garantiu no entanto, que o edifício estará também aberto aos mais novos, desejando que este seja sobretudo “um espaço de encontro entre as pessoas, um espaço de bem-estar, um espaço com vida. Um espaço intergeracional”.

Enaltecendo a abertura do Espaço de Convívio e Lazer, o autarca disse que a criação destes ECL’s se enquadra na política de apoio às pessoas implementada há vários anos pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, tendo em vista “criar melhores condições às pessoas que aqui vivem”, lembrando a propósito a criação do Posto Móvel de Atendimento ao Cidadão, viatura móvel, visitada por uma média mensal de 700 utentes nos diferentes percursos mensalmente definidos.

O autarca referiu também que em 1994 não havia este tipo de respostas direcionadas para a população, nomeadamente, para as pessoas que residem nas aldeias mais distantes da sede do concelho, aldeias estas, muitas delas até então sem acessos condignos. Hoje, todos os lugares e aldeias dispõem de ligação, não só entre si, como para as freguesias vizinhas e para os concelhos limítrofes, o que melhorou a mobilidade das pessoas e consequentemente a sua qualidade de vida.

Os equipamentos sociais, desportivos, culturais, tais como os ECL’s, os polidesportivos, entre outros, revelam-se assim, pólos de encontro e de desenvolvimento de atividades que proporcionam bem estar às pessoas e contribuem para impulsionar novas dinâmicas sócio-económicas, como é o caso da freguesia de Riodouro, um território cheio de potencialidades que tem registado a fixação de pessoas e a aposta nos produtos locais de qualidade.

A propósito da recuperação das antigas escolas e da dinamização deste tipo de equipamentos sociais, o edil cabeceirense, garantiu que “a Câmara Municipal não quer vender as antigas escolas ou edifícios públicos. Quer recolocá-los ao serviço de todos porque este é o vosso espaço, um espaço de fruição pública”, onde desejou que as pessoas sejam felizes.

De referir ainda, que nas imediações deste ECL, se encontra a antiga escola primária da aldeia, que foi igualmente requalificada e adaptada para habitação com fins sociais tendo em vista albergar pessoas deste concelho, que possam de um momento para o outro ficar sem retaguarda familiar ou em situação de risco.

Uma ‘nova’ resposta que a Câmara passa a dispor, não só em Cambezes, como noutros locais do concelho, que em estreita colaboração com a Comissão da Municipal de Pessoas Idosas - projeto pioneiro a nível nacional que não só regista os casos mais prementes como garante respostas sociais adequadas – permite uma intervenção mais célere e é reveladora da atenção que a Autarquia dispensa às pessoas e ao seu bem-estar.

Da mesma opinião partilhou o presidente da Assembleia Municipal, Dr. China Pereira, que incentivou os moradores de Cambezes em particular e os da freguesia de Riodouro em geral, a desfrutar das condições e atividades a prestar por este equipamento público doravante, considerando que esta “é uma oportunidade que a população tem de conviver com os seus amigos” e de fortificar “a vontade de viver”.

O Dr. China Pereira elogiou ainda a Câmara Municipal pela concretização de mais uma obra que não só recupera o património concelhio e o ‘devolve’ à população com uma nova valência, como contribui para o bem-estar das pessoas, a cujos utentes almejou felicidade e qualidade de vida.

De referir que este espaço, será doravante gerido pela Cooperativa Basto Vida com o apoio da Junta de Freguesia e da Associação ‘Os vizinhos de Cambezes’, a quem cabe a dinamização do ECL através da promoção de serviços que satisfaçam as necessidades básicas dos utentes; do apoio psicossocial; do fomento das relações interpessoais entre os utentes e destes com outros grupos etários; da promoção dos sentimentos de interação, autoestima e segurança e da continuidade das relações familiares e de vizinhança; da garantia pelo respeito à independência, individualidade, privacidade e livre expressão de opinião; do contributo para a estabilização e o retardamento do processo de envelhecimento; da promoção e desenvolvimento de atividades lúdicas e recreativas, de acordo com as necessidades e interesses dos utentes; da implementação de ações ao nível dos cuidados primários de saúde; e da promoção de um espaço de participação cívica e comunitária intergeracional.


Adicionar comentário

Scroll