Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Câmara apresenta «Monografia de Cabeceiras de Basto: História e Património»

Monografias representa um importante contributo para a divulgação do concelho

13 de setembro de 2013
Câmara Municipal apresenta «Monografia de Cabeceiras de Basto: História e Património»
A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto procede amanhã, dia 14 de setembro, pelas 15h00m, à apresentação pública da Monografia de Cabeceiras de Basto: História e Património. Trata-se de uma iniciativa que terá lugar no auditório municipal da Casa do Tempo e que visa divulgar publicamente esta nova edição que aborda a história e o património local.
Cabeceiras de Basto é uma terra rica de gente e de património material e imaterial, que ao longo dos tempos lhe conferiram diversidade e atratividade e, por isso, motivaram a fixação de várias gerações que deixaram as suas marcas no território no qual convivem o Minho e Trás-os Montes e cuja matriz, essencialmente rural, agrega especificidades irrepetíveis, que associadas aos microclimas existentes, lhe conferem riqueza, beleza e sapiência.

Cabeceiras de Basto é uma terra antiga, de saberes e sabores tradicionais, envolta em paisagens verdejantes e ricos cursos de água, pincelada por um vasto património de habitações populares e senhoriais, por muitos moinhos e belos jardins.

Cabeceiras de Basto é também palco de típicas festas e romarias e cenário de contos e lendas que importantes escritores perpetuaram nas suas obras.

A Monografia agrega assim, vários textos escritos por distintos académicos e autores como Francisco Reimão Queiroga, Pedro Vilas Boas Tavares, Álvaro Domingues, Eduardo Pires de Oliveira, Ana Lopes, Ilídio Araújo, Inês Gonçalves, Albertino Gonçalves, entre outros que pemitem que ao longo destas páginas seja lançado um olhar sobre a arqueologia e conhecer mais sobre o período que medeia a reconquista e os primórdios à regeneração demoliberal.

Neste livro podemos também inteirar-nos dos modos de ficcionar a realidade ou de conhecer os homens e as obras de arte existentes no concelho, encetando de igual forma uma viagem aos locais da memória das 17 freguesias, indo de encontro aos seus usos e costumes, às suas tradições, ao seu património construído e natural, mas também à gastronomia, à fauna e à flora, bem como, conhecer as romarias e os santos populares.

Podemos ainda, saber mais sobre aqueles que aquém ou além-fronteiras se destacaram e pela sua ação integraram a toponímia local, mas também sobre aqueles, muitos, anónimos, que se revelaram mestres do saber e guardiães das artes e ofícios tradicionais, cujo legado ajudaram a chegar até aos nossos dias.

De referir que esta Monografia, na qual colaboraram muitas pessoas, é um trabalho que honra e enriquece a bibliografia local e representa um importante contributo para a divulgação das nossas origens, do nosso povo e do nosso território.
 

Adicionar comentário

Scroll