Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Visitas ao património encerram encontro de história local

Iniciativa dedicada às Memórias do Território

21 de maio de 2013
Visitas ao património encerram encontro de história local
‘Continuar a trilhar os caminhos e a conhecer os homens que ontem e hoje habitaram e habitam em Cabeceiras de Basto’, foi um dos principais objetivos do terceiro encontro de história local, intitulado ‘Memórias do Território’, que teve lugar nos dias 17 e 18 de maio.
Promovida pelo Museu das Terras de Basto, esta iniciativa – anual - pretende dar a conhecer a história de Cabeceiras e o seu património, através da apresentação de comunicações e de visitas guiadas a diversos locais da memória, seja edificada, seja paisagística, seja humana.

Durante o primeiro dia ‘A rede de Museus e Sítios do Ave’ por Paulo Costa Pinto, ‘Camilo Castelo Branco por Terras de Basto: breve reflexão’ por José Manuel Oliveira, ‘A casa da Taipa, de António Pereira, fortes com muro e torre’ por Ana Maria Magalhães de Sousa Pereira, ‘São Bartolomeu: a ordem e os caos na Ponte de Cavez’ por Albertino Gonçalves, ‘Aspetos da recuperação do núcleo pictórico do Mosteiro de S. Miguel de Refojos’ por Olga e Pedro Santa Bárbara ou ‘As Mulheres de um tempo sem tempo’, por Helena Cardoso, foram os temas abordados ao longo do primeiro dia, por especialistas de diversas áreas, que despertaram o interesse em dezenas de participantes provindos de vários locais do país.

O segundo dia deste encontro - dia 18 de maio e Dia Internacional dos Museus – que ficou marcado também pela inauguração da Pista de Comboios em miniatura construída no Núcleo Ferroviário do Arco de Baúlhe - resultante da doação de linhas e material circulante pela empresa FERESPE e instalada com a colaboração do Externato S. Miguel de Refojos - foi dedicado à visita guiada ao património. A casa da Lã em Bucos, a Casa da Taipa em S. Nicolau e a visita às pinturas seiscentistas recentemente recuperadas pelo Município de Cabeceiras de Basto e patentes ao público no Núcleo Museológico de Arte Sacra, preencheram a primeira parte do programa.

Após uma pausa para degustar a gastronomia local, os participantes seguiram em direção à Casa da Ponte, Capela e às pontes de Cavez, onde tiveram oportunidade de ouvir uma breve explicação feita pelo Dr. Duarte Nuno Vasconcelos, sobre S. Bartolomeu, uma festa antiga com tradição, que anualmente atrai a veneração de muitos forasteiros devotos ao Santo e à água que brota perto da capela. Houve ainda tempo para visitar a secular Casa da Ponte e apreciar a ponte de Cavez e o rio Tâmega (abordados por Camilo Castelo Branco nos seus escritos), visita esta, a que se associou também o Presidente da Câmara Municipal Eng.º Joaquim Barreto e os vereadores Francisco Pereira e Dr. Domingos Machado. Os participantes seguiram depois em direção à aldeia de Arosa, daquela freguesia, para conhecer como se fabricam as tradicionais cavacas e os rosquilhos, iguaria da doçaria tradicional.

Durante este terceiro encontro de história local, o Museu das Terras de Basto anunciou para breve a formalização do Grupo dos Amigos do Museu das Terras de Basto, uma associação que em colaboração com a Câmara Municipal, procurará apoiar este equipamento no desenvolvimento da sua missão e cujas inscrições se encontram abertas.

O Museu anunciou também a realização do Mercadinho dos Sabores e dos Saberes, uma iniciativa que tem em vista a promoção dos produtos da terra e que terá lugar no próximo dia 22 de junho à tarde. Neste dia, quem visitar o Museu, no Arco de Baúlhe, terá a possibilidade de ver, saborear e adquirir os produtos da época e alguns dos pratos que com eles se confecionam. Não faltará a broa, o bolo e o pão com chouriço, os doces de romaria. Presente estará também o artesanato em lã, latoaria e miniaturas em madeira.


Adicionar comentário

Scroll