Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Centro Social de Cabeceiras de Basto apresenta trabalhos na Casa da Cultura

Projeto educativo incutiu nas crianças as nossas origens e identidade

14 de maio de 2013
Centro Social de Cabeceiras de Basto apresenta trabalhos na Casa da Cultura
Foi ontem, dia 13 de maio, inaugurada na Casa Municipal da Cultura a exposição de trabalhos do Centro Social de Cabeceiras de Basto, uma sessão à qual se associaram o presidente da Câmara Municipal, Eng. Joaquim Barreto, assim como a presidente da direção do Centro Social, Dra. Teresa Castro.
Depois de agradecer a presença de todos nesta singela cerimónia, a presidente da direção do Centro Social de Cabeceiras de Basto enalteceu a colaboração das famílias na concretização do projeto educativo do Centro, cuja ação se desenvolveu em torno do tema ‘A Quinta em Terras de Basto’. Foi esta a temática que deu, posteriormente, origem a diferentes projetos pedagógicos desenvolvidos ao longo do ano, em várias vertentes, entre elas a habitação na quinta, os animais da quinta, as alfaias agrícolas, as plantações da quinta, entre outras.

De acordo com as palavras da diretora Teresa Castro, a escolha deste tema globalizante ‘A Quinta em Terras de Basto’ teve como objetivo “ensinar às crianças, desde cedo, como se trabalha a terra e como se cuida dos animais”, sobretudo domésticos, valorizando as marcas identitárias da nossa terra.

A par destas atividades, estão também expostos na Casa da Cultura trabalhos que assinalaram datas marcantes do nosso calendário, como é o caso do Dia da Mãe e das estações do ano.

O Centro Social elegeu este ano como estratégia “uma escola aberta, uma escola ativa” porque, segundo a diretora, “a escola não é uma ilha mas antes um todo”. E defendeu “a família e a escola são o sucesso para a educação. Aprendemos a fazer fazendo. Tudo se faz, tudo se pratica e é a partir daí que as aprendizagens nascem”.

Elogiando o pensamento criativo das crianças e as suas habilidades, Teresa Castro disse que “os pais e os educadores teimam em ser terra fértil, o que significa que querem criar ambiente para que os filhos possam crescer felizes e saudáveis”. E finalizou: “o essencial é invisível aos olhos”.

Depois de saudar as crianças, os encarregados de educação e a direção do Centro Social, o presidente da Câmara Municipal, Eng. Joaquim Barreto, enalteceu o trabalho desenvolvido pela instituição, referindo que “a colaboração e a parceria encetadas dão frutos”.

O autarca deu ainda os parabéns ao Centro Social pelo tema escolhido para o projeto educativo, que permitiu “incutir às crianças, desde tenra idade, aquilo que são as nossas origens e a nossa identidade”.

No final, os meninos e meninas brindaram os presentes com um momento musical, onde interpretaram o Hino do Centro Social e uma rapsódia de temas bem conhecidos do público.


Adicionar comentário

Scroll