Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Professor Manuel Carneiro dá nome à Biblioteca da Casa da Cultura

Homenagem, a título póstumo, encerrou programa do 25 de Abril em Cabeceiras de Basto

29 de abril de 2013
Professor Manuel Carneiro dá nome à Biblioteca da Casa da Cultura
O professor Manuel José do Carmo Carneiro foi homenageado, no passado dia 25 de abril, com a atribuição do seu nome à Biblioteca da Casa Municipal da Cultura, um tributo que surge na sequência das deliberações tomadas pelo executivo municipal na sua última reunião camarária.
A homenagem, a título póstumo, ao cidadão cabeceirense Manuel Carneiro inseriu-se no âmbito programa comemorativo do 25 de Abril e integrou o descerramento de uma placa alusiva à efeméride.

À cerimónia associaram-se os familiares e amigos de Manuel Carneiro, assim como os presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal, Eng. Joaquim Barreto e Dr. China Pereira, os vereadores Dr. Domingos Machado, Francisco Pereira e Margarida Coutinho, o presidente da Junta de Freguesia de Refojos, Francisco Alves, entre outros autarcas, convidados e público em geral.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara Municipal começou por desabafar: “há homenagens difíceis de fazer”. Comovido, Joaquim Barreto continuou o seu discurso falando da relação de proximidade que manteve ao longo dos anos com Manuel Carneiro, “um homem muito inteligente, colaborador leal, sério e honesto. Um bom conselheiro e um homem atento, um pensador com uma piada fina”, considerou o autarca.

Desejando que “a sua presença continue ligada” aos cabeceirenses, Joaquim Barreto defendeu: “esta é a Casa do Barão e nada melhor do que as letras e a cultura para o homenagear, atribuindo o seu nome à Biblioteca da Casa da Cultura”.

Deixando o seu “testemunho de gratidão” pelo trabalho desenvolvido pelo Prof. Manuel Carneiro em prol do progresso de Cabeceiras de Basto, o presidente da Câmara Municipal terminou: “era um homem com uma visão de futuro que se impunha pelo silêncio e pelo pensar”.

Nas suas palavras, o presidente da Assembleia Municipal, Dr. China Pereira, começou por relembrar as histórias e vivências da sua juventude, passadas na Raposeira, com Manuel Carneiro e o grupo de amigos.
Afirmando que o Prof. Carneiro era “um homem do 25 de Abril”, China Pereira destacou a sua múltipla e diversificada atividade pública, pautada por uma “grande vontade de viver”.

Na oportunidade, felicitou a Câmara Municipal e o pelouro da Cultura pela homenagem a Manuel Carneiro, revelando “o seu orgulho por todo o trabalho que fez pelo desenvolvimento da sua terra”.

Tomando a palavra, a filha, Carla Carneiro, e a irmã, Manuela Carneiro, agradeceram e aplaudiram a homenagem feita a Manuel Carneiro pelo Município Cabeceirense. “Certamente ficaria orgulhoso com a atribuição do seu nome à biblioteca. Era um homem que amava os livros”, realçou a filha.

A finalizar a cerimónia de homenagem a título póstumo, a esposa, Fernanda Carneiro, disse: “hoje é um dia muito importante para toda a minha família. Esta homenagem traz-nos muita alegria mas também tristeza e saudade porque já não se encontra entre nós”.

Depois de evidenciar o percurso do marido ao longo da sua vida pública, Fernanda Carneiro agradeceu o “empenho de todos nesta homenagem tão comovente”.

Biografia de Manuel Carneiro


Nascido a 12 de janeiro de 1946, na freguesia de Refojos de Basto, Manuel José do Carmo Carneiro, foi professor do ensino básico do 1º ciclo e do 2º ciclo (telescola). Desenvolveu simultaneamente a atividade pública e política, tendo sido autarca. Foi vereador da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto durante o período da Comissão Administrativa, logo após o 25 de abril, entre 1974 e 1976, e membro da Assembleia Municipal entre 1994 e 2005. Foi igualmente, e durante muitos anos, colaborador da Câmara Municipal. Foi membro da Comissão Municipal de Toponímia e Coordenador da USCAB - Universidade Sénior de Cabeceiras de Basto.

Para além de professor e autarca, o professor Manuel Carneiro foi sempre um homem ligado à educação, às letras e à cultura.

O gosto pela comunicação e imprensa levou-o a fundar, com um grupo de amigos, o jornal Ecos de Basto, tendo sido seu colaborador e ocupado o cargo de chefe de redação. Também o gosto pela música, pela tradição e cultura popular impulsionaram-no para o seu envolvimento na organização das festas de S. Pedro da Raposeira durante vários anos, bem como para a sua participação na Associação ‘Os Cavaquinhos da Raposeira’ de que foi sócio fundador e membro ativo.


Adicionar comentário

Scroll