Conteúdo

Biblioteca de Frei Geraldo enobrece Centro de Estudos Beneditinos inaugurado no sábado

Brasão de Armas da Ordem Beneditina será também doado a Cabeceiras de Basto

19 de setembro de 2022
Biblioteca de Frei Geraldo enobrece Centro de Estudos Beneditinos inaugurado no sábado
O presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, acompanhado do representante da Diretora Regional da Cultura do Norte, Paulo Oliveira, e do D. Abade Bernardino Costa do Mosteiro de S. Bento de Singeverga, inaugurou no sábado, 17 de setembro, o Espaço Ilídio dos Santos - Acolhimento ao Visitante e o Centro de Estudos Beneditinos de Cabeceiras de Basto Prof. Doutor Frei Geraldo Coelho Dias (O.S.B.).
As cerimónias foram integradas na iniciativa ‘O Nosso Mosteiro’, organizada pela autarquia cabeceirense.

Participaram, ainda, nesta cerimónia vereadores, presidentes de Juntas de Freguesia, membros da Assembleia Municipal, membros da Comissão de Estudos Beneditinos, da Comissão Organizadora do V Seminário Internacional e oradores do último Seminário ‘Ora et Labora’, demais entidades civis, religiosas e militares do concelho e da região, entre outros convidados e público em geral. Marcaram, igualmente, presença familiares de Frei Geraldo, ilustre benemérito do Mosteiro.

Para além da inauguração do Espaço Ilídio dos Santos - Acolhimento ao Visitante e do Centro de Estudos Beneditinos de Cabeceiras de Basto ‘Prof. Doutor Frei Geraldo Coelho Dias (O.S.B.)’ foi também apresentado publicamente o Livro de Atas do V Seminário Internacional Ora Et Labora ‘Refojos de Basto: Leituras, Textos e Autores Beneditinos’.

Durante a cerimónia foi, ainda, assinado pelo presidente da Câmara Municipal e pelo D. Abade do Mosteiro de S. Bento de Singeverga o contrato de doação da biblioteca do ilustre monge da Ordem de S. Bento, Prof. Doutor Frei Geraldo Coelho Dias (O.S.B.).

“Trata-se de um rico espólio composto por cerca de 9.500 publicações - vasta obra publicada nas áreas da História Antiga, da História das Religiões, da História da Igreja, entre outras, que granjeou a Frei Geraldo reconhecimento nacional e internacional, e que prestigia, agora, Cabeceiras de Basto por ter em sua posse tão preciosos documentos”, considerou o edil Cabeceirense na sua intervenção.

Estes novos e importantes recursos bibliográficos impulsionarão novas investigações que contribuirão para o desenvolvimento da atividade do Centro de Estudos Beneditinos.

A iniciativa ‘O Nosso Mosteiro’ revestiu-se de grande simbolismo, já que no dia 17 de setembro se celebrou o 88.° aniversário do benemérito do Mosteiro, Frei Geraldo Coelho Dias.

Depois de cumprimentar os presentes, o presidente da Câmara Municipal demonstrou a sua “enorme satisfação” pela inauguração daquelas duas novas valências do Mosteiro.

O Espaço Ilídio dos Santos – Sala de Acolhimento ao Visitante que foi, outrora, o refeitório dos monges beneditinos e Auditório Municipal, renasce na sequência da implementação do Circuito de Visitação ao Mosteiro e funcionará também como espaço multifunções na área cultural, designadamente para a realização de exposições, palestras, tertúlias, momentos musicais, entre outros.

O Centro de Estudos Beneditinos Prof. Doutor Frei Geraldo Coelho Dias disponibiliza um valioso conjunto de livros e documentos físicos e digitais relacionados com a presença beneditina em Cabeceiras de Basto.
As empreitadas, no seu global, envolveram um investimento na ordem dos 300 mil euros, obras financiadas por fundos comunitários.

Agradecendo publicamente a Frei Geraldo “por tudo o que nos deu”, Francisco Alves destacou: “Frei Geraldo é um AMIGO de Cabeceiras de Basto”. É o autor do livro ‘O Mosteiro de São Miguel de Refojos - Jóia do Barroco em Terras de Basto’ e ainda autor de alguns trabalhos realizados no âmbito dos diferentes Seminários Internacionais. Em julho de 2021, a Câmara Municipal atribuiu a Frei Geraldo a Medalha de Mérito Público - Grau Ouro, “em reconhecimento pelos valiosos contributos dados ao Município enquanto investigador e historiador”, salientou o autarca.

O Mosteiro de S. Miguel de Refojos tem sido “o principal ícone de promoção deste território e, por isso, vai continuar a ser uma aposta da Câmara Municipal”, garantiu o presidente da Câmara Municipal, agradecendo a todos os envolvidos no processo de valorização do ex-líbris do concelho.

Na oportunidade, Paulo Oliveira, em representação da Diretora Regional da Cultura do Norte, disse aos Cabeceirenses que “devem estar todos orgulhosos por tudo o que está a acontecer hoje (nesta cerimónia) em Cabeceiras de Basto”. Elogiando a qualidade das obras executadas e a aposta da Câmara no setor da Cultura, Paulo Oliveira mostrou-se, como técnico e investigador, “muito satisfeito” pelo trabalho desenvolvido no concelho cabeceirense. “Os técnicos da Direção Regional da Cultura do Norte estão disponíveis para continuar a apoiar” a Câmara Municipal, garantiu Paulo Oliveira.

Nas suas palavras, Dom Abade Bernardino Costa destacou a doação das mais de 9 mil publicações a Cabeceiras de Basto da Biblioteca do Monge da Ordem de S. Bento, Prof. Doutor Frei Geraldo Coelho Dias. “A doação é muito oportuna” porque em Cabeceiras de Basto “continuará o trabalho e a memória de Frei Geraldo”, destacou o Abade de Singeverga, sublinhando que “o que é do monge é da comunidade”. Um “estreitar de laços” que aproxima, agora, ainda mais, o Mosteiro de S. Miguel de Refojos ao Mosteiro de S. Bento de Singeverga, até então detentor da biblioteca do Padre Geraldo José Amadeu Coelho Dias.

Na sua intervenção, Luís Amaral, uma das figuras de relevo no processo de doação dos livros a Cabeceiras de Basto, enalteceu as “boas vontades” das partes envolvidas no processo de doação da biblioteca de Frei Geraldo, dando-o como “um bom exemplo” a seguir. E sobre o facto de a biblioteca pertencer agora ao Centro de Estudos Beneditinos, sublinhou: “é como se os monges voltassem a repovoar o Mosteiro”, afiançou.

Neste “dia de festa”, Luís Amaral anunciou, ainda, a doação a Cabeceiras de Basto do Brasão de Armas da Ordem Beneditina, em restauro no momento, e que passará a integrar também o espólio do Centro de Estudos Beneditinos.

Na sua intervenção, Pedro Tavares, coordenador do Centro de Estudos Beneditinos Prof. Doutor Frei Geraldo Coelho Dias, manifestou publicamente a sua “emoção” por ver a obra feita no Mosteiro de S. Miguel de Refojos e o resultado dos Seminários Internacionais organizados em Cabeceiras de Basto.

Impossibilitado de estar presente na cerimónia, como inicialmente previsto, Armando Malheiro da Silva, apresentou, em formato digital, o Livro de Atas do V Seminário Internacional Ora Et Labora ‘Refojos de Basto: Leituras, Textos e Autores Beneditinos’.

O professor catedrático da FLUP fez uma resenha do trabalho desenvolvido durante o evento que se realizou na Casa do Tempo, entre os dias 29 e 30 de julho de 2021, colocando em evidência os principais temas abordados.

Estamos perante “mais uma importante obra que perpetuará todas as intervenções efetuadas durante a edição 2021 do evento”, disse o presidente da Câmara Municipal, adiantando “porque queremos fazer mais e descobrir mais, pretendemos dar continuidade a esta caminhada e esperamos poder contar, também, com a preciosa colaboração do CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar ‘Cultura, Espaço e Memória’ da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, em próximas edições”, finalizou Francisco Alves.

A abertura e o encerramento da iniciativa ‘O Nosso Mosteiro’ foi abrilhantada pela soprano Marline Apolinário, acompanhada pela pianista Margarida Machado.

Adicionar comentário

Scroll