Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Comissão Municipal de Defesa da Floresta aprovou Plano Operacional Municipal

Plano de Fogo Controlado para 2021-2025 e Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Cabeceiras de Basto para 2021-2030 foram igualmente aprovados

28 de abril de 2021
Comissão Municipal de Defesa da Floresta aprovou Plano Operacional Municipal 2021
A Comissão Municipal de Defesa da Floresta, em reunião dirigida pelo presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, no passado dia 23 de abril, aprovou por unanimidade o Plano Operacional Municipal (POM) de 2021, o Plano de Fogo Controlado para 2021-2025 e o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI) de Cabeceiras de Basto para 2021-2030, bem como o Relatório de Monitorização do PMDFCI de 2020.
O Plano Operacional Municipal para o corrente ano visa estabelecer de forma coordenada o envolvimento das entidades intervenientes nas ações de vigilância, deteção, fiscalização, 1.ª intervenção, combate, rescaldo e vigilância pós-incêndio para os diferentes níveis de alerta da Defesa Contra Incêndios Rurais. Para o efeito conta com o empenhamento de quatro equipas de Sapadores Florestais, uma equipa do Corpo Nacional de Agentes Florestais, uma Equipa de Intervenção Permanente (EIP) e três Equipas de Combate a Incêndios (ECIN), bem como de outros meios complementares de apoio ao combate.

O Plano de Fogo Controlado tem dois objetivos primordiais. Um incide sobre a Defesa contra Incêndios Rurais (DCIR), através da gestão e diminuição da sua carga combustível em locais estratégicos e o outro na lógica de renovação de pastagens para suporte da prática de silvopastorícia local que tem grande peso na economia local. Durante cinco anos pretende-se intervir em cerca de 704 hectares, distribuídos por 135 parcelas e inseridos no Perímetro Florestal da Serra da Cabreira.

O PMDFCI é um instrumento de planeamento de que define a estratégia municipal da Defesa Contra Incêndios Rurais, identificando os objetivos a alcançar, as ações a realizar, as competências e atribuições dos agentes envolvidos e os meios necessários à concretização da estratégia preconizada para um período de dez anos (2021 a 2030) que será reduzir o risco de incêndio e diminuir o número de ocorrências e áreas percorridas pelos incêndios. Neste decénio está previsto gerir 1500ha de combustíveis florestais, beneficiar 116km de rede viária florestal e 32 pontos de água, bem como proceder à reabilitação de povoamentos em cerca de 638ha.

No que se refere ao Relatório de Monitorização do PMDFCI, em 2020 verificou-se uma redução do número de ocorrências em 28% e uma redução da área ardida em 66% relativamente à média dos últimos 10 anos. No campo de prevenção estrutural verificou-se a gestão de combustíveis florestais 438,65ha, a beneficiação de 40 km de rede viária e de 11 pontos de água. Estes dados realçam o empenho e a articulação demonstrada por todas as entidades participantes nas áreas da prevenção, vigilância e combate aos incêndios florestais durante o ano anterior.

Adicionar comentário

Scroll