Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

«O Parlamentarismo em Portugal» foi tema de tertúlia na Casa da Cultura

iniciativa surgiu na sequência da exposição ‘Joshua Benoliel - Repórter Parlamentar (1906 - 1924)’

7 de março de 2019
«O Parlamentarismo em Portugal» foi tema de tertúlia na Casa da Cultura
Francisco Lancastre e Távora, técnico da Assembleia da República, foi o orador convidado da tertúlia ‘O Parlamentarismo em Portugal’ que decorreu na passada segunda-feira à noite, 4 de março, na Casa Municipal da Cultura de Cabeceiras de Basto.
Participaram neste iniciativa os presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves e Eng. Joaquim Barreto, respetivamente, os vereadores Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, técnicos do Município, presidentes de Juntas de Freguesia, membros da Assembleia Municipal entre outros autarcas, convidados e público em geral que encheram a sala.

Coube ao presidente da Câmara apresentar o orador e o seu currículo, realçando a importância do tema em debate.

Durante a sua intervenção, Francisco Lancastre e Távora deu uma verdadeira aula de história, dando conta de mais de dois séculos de acontecimentos. O orador falou do parlamentarismo português e dos momentos que marcaram a nossa história nesse período, explicou a importância da Constituição Portuguesa de 1822 – a primeira lei fundamental portuguesa, descreveu o modo de funcionamento do Parlamento, evidenciando a relevância do voto em democracia, entre outras temáticas.
 
Por seu turno, o presidente da Assembleia Municipal, Eng. Joaquim Barreto, antes de proceder ao encerramento da sessão, falou aos presentes da sua atual experiência como deputado na Assembleia da República, fazendo o paralelismo com o trabalho que tem igualmente desenvolvido enquanto presidente da Comissão de Agricultura e Mar.
Joaquim Barreto salientou a urgência de “qualificar a democracia com cidadãos mais bem informados”.

De referir que esta iniciativa surgiu na sequência da exposição ‘Joshua Benoliel - Repórter Parlamentar (1906 - 1924)’ que esteve patente ao público até ao dia de hoje na Sala de Exposições da Casa da Cultura de Cabeceiras de Basto.

Adicionar comentário

Scroll