Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Projeto DNA com a participação de Cabeceiras de Basto foi distinguido pelo IPDT e pelo Turismo de Portugal

Tornar território como o espaço rural amigável para os Nómadas Digitais

27 de fevereiro de 2019
Projeto DNA com a participação de Cabeceiras de Basto foi distinguido pelo IPDT e pelo Turismo de Portugal
O Município de Cabeceiras de Basto, em conjunto com os Municípios de Mondim de Basto, Amarante, Baião e com a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, viu o Projeto DNA – Digital Nomads Adventure distinguido pelo Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), e pelo Turismo de Portugal.
De salientar que o Projeto DNA – Digital Nomads Adventure que foi um dos três projetos turísticos vencedores da primeira edição do ‘Programa ALA + T – qualificar para o Turismo’, foi desenvolvido pela técnica do Município de Cabeceiras de Basto, Dra. Manuela Martins, e por outros técnicos dos Municípios de Mondim de Basto, Amarante, Baião, bem como da CIM do Tâmega e Sousa.

Promovido pelo Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em estreita colaboração com o Turismo de Portugal, a primeira edição do ‘Programa ALA + T – Programa Nacional de Qualificação da Administração Local Autárquica para o Turismo’, decorreu entre os meses de setembro de 2018 e fevereiro de 2019.

O Programa ALA + T contou com cerca de 160 participantes oriundos de 90 autarquias nacionais e Comunidades Intermunicipais distribuídos por diversos grupos de trabalho que tiveram a oportunidade de apresentar publicamente 19 projetos desenvolvidos na área do turismo. A apresentação realizou-se no passado dia 20 de fevereiro em Castelo Branco, momento em que foram anunciados os três projetos vencedores, nos quais se inclui o projeto integrado por Cabeceiras de Basto.

O Projeto DNA – Digital Nomads Adventure pretende criar uma oferta diferenciada e articulada de turismo a nível regional, baseada no ativo ‘Living – Viver em Portugal’, onde o foco será criar condições para tornar este território (Amarante, Baião, Cabeceiras de Basto e Mondim de Basto) como o primeiro espaço rural amigável para um segmento de mercado em rápido crescimento a nível mundial: os Nómadas Digitais.

A Câmara Municipal regozija-se com o reconhecimento que este projeto mereceu por parte IPDT e pelo Turismo de Portugal, projeto que muito contribuirá para a valorização da nossa região e da nossa comunidade a implementar neste território, através do financiamento do Turismo de Portugal.

Adicionar comentário

Scroll