Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Cortejo Etnográfico trouxe à rua «A música da minha Terra»

Enaltecido o trabalho desenvolvido pelas Juntas de Freguesia participantes neste cortejo que primou pela qualidade das representações

25 de setembro de 2018
Milhares de pessoas aplaudiram Cortejo Etnográfico que trouxe à rua «A música da minha Terra»
Milhares de pessoas assistiram dia 23 de setembro, ao magnífico cortejo etnográfico que percorreu as principais ruas da vila, promovendo e divulgando a cultura popular e etnográfica de Cabeceiras de Basto. Este cortejo reflete o trabalho de uma equipa - constituída pelo Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, pelas Juntas de Freguesia, responsáveis pela Comissão de Festas, associações e coletividades, entre outros.
Entidades que nos últimos meses trabalharam, envolvendo as diferentes faixas etárias da população na produção e concretização deste desfile dos usos e costumes mais genuínos desta terra de Basto.

Centenas de pessoas foram, assim, mobilizadas para construir e ornamentar os carros alegóricos, bem como participar nos mesmos, dando corpo a um magnífico cortejo que surpreendeu o numeroso público que se posicionou ao longo do trajeto.

O Cortejo Etnográfico, que integrou o programa das Festas do Concelho, trouxe este ano à rua o tema ‘A música da minha Terra’. A freguesia de Abadim apresentou ‘As cantigas da desfolhada’; a União de Freguesias de Alvite e Passos os ‘Altifalantes Salsinha’, a União de Freguesias do Arco de Baúlhe e Vila Nune as ‘Novenas da Sra. dos Remédios’; Bucos integrou o cortejo com o ‘Grupo das Capuchas’; Cabeceiras de Basto apresentou o ‘Bailarico na Aldeia’; a Faia trouxe a ‘Música e vinho nas encostas da Faia’; a União de Freguesias de Gondiães e Vilar de Cunhas o ‘Serrar a velha’; Pedraça as ‘Cantigas da Segada’; a União de Freguesias de Refojos, Outeiro e Painzela o ‘Rancho da Cambada’; e Riodouro apresentou ‘As serenatas’ e ‘ Os cantares da levada da aldeia’, este último carro dinamizado pela Associação Vilela com Vida.

Na tribuna assistiram ao Cortejo Etnográfico o presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, e os vereadores Dr. Mário Machado, Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa.

Não participou neste cortejo a freguesia de Basto por motivo que justificou com a realização de um evento social naquela freguesia que mobilizou os seus habitantes.

Também a Junta de Freguesia de Cavez não participou, desconhecendo-se, neste caso, qualquer justificação.

A Câmara Municipal louva e enaltece todo trabalho desenvolvido pelas Juntas de Freguesia participantes neste cortejo que primou pela qualidade das representações etnográficas que mostraram de uma forma muito criativa, bela, cuidada e realista as tradições, os usos e costumes de cada uma das freguesias.

A Câmara Municipal lamenta que o povo de Cavez não pudesse estar representado, por decisão da sua Junta de Freguesia, que se recusou a participar, lamento ainda mais sentido, uma vez que o tema ‘A música da minha Terra’ é muito querido às gentes de Cavez. Com efeito, nesta freguesia existem três ranchos folclóricos que têm levado longe o nome de Cavez e de Cabeceiras de Basto.

De salientar que, no final, foram entregues lembranças a todas as freguesias participantes na edição 2018 do Cortejo Etnográfico.

A Feira que também é Festa de S. Miguel continua até ao próximo dia 30 de setembro, domingo, emprestando a esta vila um cenário de grande beleza e animação.

Adicionar comentário

Null
Cabeceiras
Yahoo! Weather
  • Null
  • Null
  • Null
  • Null
Scroll