Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Arco de Baúlhe

Casa do Povo do Arco de Baúlhe
Casa do Povo do Arco de Baúlhe
Antiga freguesia localizada na orla Sudeste do território cabeceirense, o Arco de Baúlhe é vila desde 20 de Junho de 1991. Fazendo fronteira com o concelho de Mondim de Basto, confina com a antiga freguesia de Vila Nune, e as freguesias de Basto (Santa Senhorinha), Faia e Pedraça.

Trata-se de uma área pouco acidentada, mais ou menos baixa e plana, por onde passa o rio Peio, onde uma ponte de um só arco, conhecida por Ponte Velha terá provavelmente sido a responsável pela origem do topónimo “Arco”.

Historiadores locais referem que esta terra andou partilhada, até 1834, por duas províncias (Minho e Trás-os-Montes) e por outros tantos concelhos (Cabeceiras e Atei de Basto, antiga e extinta circunscrição). Nesta localidade destaca-se como património cultural e edificado, a ponte Velha, a Casa da Portela e a Casa da Capela. O Museu Terras de Basto e a Praia Fluvial do Caneiro são também locais de interesse turístico.



É uma terra dinâmica de onde sobressai a agricultura, a pecuária, a transformação de madeira, a cerâmica e o comércio. O Arco desde cedo se assumiu como principal núcleo urbano da freguesia, ali se concentrando atualmente 90% da respectiva população.

O artesanato aprecia-se nas rendas, bordados e tecelagem. Das festas e romarias destaca-se Santa Luzia, Nossa Senhora dos Remédios e S. Martinho. Nesta terra, o presunto, a vitela assada e o cabrito assado fazem as delícias dos arcoenses e de todos os que se deslocam àquela vila, por onde passava a antiga “estrada real” e que conferiu fama, nos séculos XVIII e XIX, pelas suas ótimas estalagens.
 

Vila Nune

Apeadeiro em Vila Nune
Apeadeiro em Vila Nune
Sendo a mais meridional das antigas freguesias de Cabeceiras de Basto, Vila Nune ocupa uma pequena área situada na extremidade do concelho. Faz fronteira com os Municípios de Mondim e Celorico de Basto e com as congéneres do Arco de Baúlhe e Faia.

Terra pouco acidentada e fecunda, abrange solos agrícolas com aptidão para o cultivo da vinha. Com um índice de povoamento baixo, Vila Nune apresenta alguns locais de interesse patrimonial. Destacam-se a Igreja Matriz, as Casas da Granja e de Além, o Cruzeiro Paroquial e o antigo Apeadeiro de Vila Nune, da linha de C.F. do Tâmega.

Nesta freguesia o artesanato manifesta-se nas rendas e nos bordados.
 

Arco de Baúlhe e Vila Nune

Junta de Freguesia

Presidente da União de Freguesias de Arco de Baúlhe e Vila Nune - Carlos Eduardo de Magalhães Pimenta Teixeira (PS)
Presidente da Junta: Carlos Eduardo de Magalhães Pimenta Teixeira (PS)
Secretário: Adriano Vítor de Moura Peixoto Valente Pereira (PS)
Tesoureiro: Manuela Filipa de Sousa Rodrigues (PS)

Assembleia de Freguesia

Presidente - Carlos Manuel Machado Dias (PS)
1.º Secretária - Ramiro André Pacheco Carvalho (PS)
2.º Secretário - Ana Isabel Alves Machado (PS)
 
Elisa de Jesus Mucha Martins (IPC)
Avelino da Costa Sousa (IPC)
Carla Amélia Magalhães Lousada (PS)
Jorge Manuel de Magalhães Pacheco (IPC)
Vera Patrícia de Magalhães Carvalho (IPC)
Bruno Teixeira Pinto (PS)

Morada:
Rua Arco de Baúlhe, n.º68
4860-045 Arco de Baúlhe
 
Contactos:
Telefone: 253 665 525
E-mail: geral@arcodebaulhevilanune.pt
 

As Leis nº 22/2012, de 30 de maio e 11/A/2013, de 28 de janeiro, estabeleceram uma nova organização administrativa do território das freguesias tendo agregado as freguesias do Arco de Baúlhe e Vila Nune que, a partir da entrada em vigor, passou a designar-se União das Freguesias do Arco de Baúlhe e Vila Nune, com uma área de 8,93 Km2 e 2.048 habitantes (censos 2011).
 
Scroll