Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Dez mil pessoas visitaram a Casa do Tempo

Visitantes nacionais são oriundos de 80 concelhos e estrangeiros de 10 países

6 de dezembro de 2013
Visitante 10 mil recebeu um Basto do presidente da Câmara, Dr. China Pereira
A Casa do Tempo de Cabeceiras de Basto chegou ontem, dia 4 de dezembro, aos 10 mil visitantes, facto que enche de orgulho e satisfação a Câmara Municipal. Em apenas quatro meses e dois dias, este equipamento municipal recebeu 9.566 visitantes nacionais e 438 estrangeiros, o que perfaz um total de 10.004 pessoas.
Para assinalar a chegada do visitante número 10.000, o presidente da Câmara Municipal, Dr. China Pereira – que na oportunidade se fez acompanhar pelo presidente da Assembleia Municipal, Eng. Joaquim Barreto e pela vereadora da Cultura, Dra. Isabel Coutinho – ofereceu um Basto a Guilherme Galvão, ele que foi o feliz comtemplado com o prémio. O feito foi alcançado durante a visita dos professores do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto à Casa do Tempo.

Felicitando o professor Guilherme Galvão pela conquista deste título de “visitante número 10 mil”, o presidente da Câmara Municipal, Dr. China Pereira, revelou o seu contentamento pelo sucesso que a Casa do Tempo está a ter, não só entre os cabeceirenses, como também entre os forasteiros oriundos de todo o Portugal e do estrangeiro.

Depois de afirmar que “é o primeiro prémio que ganho em toda a minha vida”, Guilherme Galvão, professor natural de Mogadouro e radicado em Cabeceiras de Basto há mais de 20 anos, mostrou-se “muito feliz” por ser o visitante número 10 mil da Casa do Tempo, um local que, nas suas palavras, representa “um bom casamento entre as novas tecnologias e os tempos antigos”.

Afirmando-se “pasmado com os versos de Bernardino Ribeiro”, Guilherme Galvão confessa que a cozinha que dá vida ao ‘Lugar das Gentes’ lhe traz à memória o local onde nasceu e que, por isso, lhe diz muito.

De acordo com os dados disponibilizados pelos técnicos da Casa do Tempo, cuja inauguração ocorreu em 2 de agosto de 2013, os visitantes nacionais são oriundos de mais de 80 concelhos, ao passo que os visitantes estrangeiros ultrapassam já os 10 países. A média diária de visitantes excede as 60 pessoas.

Localizada junto ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos, a Casa do Tempo permite aos visitantes, através do recurso às novas tecnologias de informação e comunicação, aceder à informação turística do concelho, mas também inteirar-se da dinâmica local registada nos diversos setores de atividade, assim como, conhecer as potencialidades que o Cabeceiras de Basto encerra, tornando-se assim, num verdadeiro centro interpretativo do concelho.

Esta obra insere-se num projeto ambicioso de qualificação encetado pela Câmara Municipal há uns anos atrás, tendo em vista a regeneração urbana e ambiental do coração da vila cabeceirense, ligando a centenária Praça da República a zonas urbanas novas, criando espaços verdes, tratando as margens da ribeira de Penoutas e recuperando parte destas antigas casas de caseiros.

VALÊNCIAS - CASA DO TEMPO

Receção

Umbral – espaço de imagens com equipamento interativo

Rio do Tempo – corredor do tempo onde se podem ouvir sons e ver imagens

Corredor paralelo – espaço expositivo onde está patente pelo período de um ano a Exposição de Relógios. Do lado direito estão escritos provérbios e quadras populares

Lugar da Terra – sala do território onde estão todas as freguesias e o seu património. Estão também imagens da fauna e da flora e uma maquete do concelho – equipamento interativo

Corredor que liga o lugar da terra ao lugar da história – apresenta imagens de animais do Centro de Educação Ambiental de Vinha de Mouros do lado esquerdo e do lado direito visualiza-se no jardim interior um relógio de sol (réplica do relógio de sol de Passos) elaborado pelo CTCMCB – Joana

Lugar da História – espaço que aborda a fundação do concelho desde os primórdios, falando do Mosteiro de S. Miguel de Refojos, passando pelo Basto, pelo S. Miguel ao Foral Manuelino. Aqui estão patentes as réplicas do Cálice de Gueda Mendes, cujo original está no Museu Machado de Castro, em Coimbra e do Foral. Esta sala está dotada de equipamento multimédia para projeção de filmes, nomeadamente do concelho, do ciclo do pão, das chegas de bois, dos equipamentos, das tradições, entre outros.

Lugar da Tradição – aqui estão apresentadas as tradições como a chega de bois, a música popular com as concertinas, a Banda Cabeceirense, entre outros. Aqui se podem visualizar também filmes.

Lugar das Gentes – neste espaço recria-se uma cozinha tradicional. Pode-se ver um moinho aludindo ao ciclo do pão, a oliveira e azeite, entre outros.

Lugar do Conhecimento – essencialmente direcionado para os mais novos, neste espaço podem-se realizar diversas atividades pedagógicas e lúdicas, recorrendo também a equipamentos multimédia e interativos que abordam a história local.

Auditório

Cafetaria/bar – com espaço exterior de apoio

Adicionar comentário

Scroll