Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Exposição «Isto não é brincadeira de crianças - Holocausto: criatividade e jogo»

Casa da Cultura de Cabeceiras de Basto apresenta ao público exposição até 17 de julho

9 de julho de 2013
Exposição «Isto não é brincadeira de crianças - Crianças no Holocausto: criatividade e jogo»
Foi inaugurada na sexta-feira, dia 5 de julho, na Casa Municipal da Cultura de Cabeceiras de Basto, a exposição ‘Isto não é brincadeira de crianças - Crianças no Holocausto: criatividade e jogo’, uma mostra inaugurada pelos presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal, Eng. Joaquim Barreto e Dr. China Pereira, aos quais se associaram o vereador da Cultura, Dr. Domingos Machado, o arcipreste Marcelino Esteves, entre outros autarcas, convidados e público em geral.
Trata-se de uma exposição itinerante concebida pelo Museu Yad Vashem, de Israel e dinamizada pelo
Projeto N.O.M.E.S. - Nomes e Olhares para a Memória e o Ensino da Shoá -, tendo sido cedida
temporariamente à Casa da Cultura pela Memoshoá - Associação Memória e Ensino do Holocausto.
Estará patente ao público até ao próximo dia 17 de julho.

De salientar que o título desta exposição se baseia numa citação do pediatra Janusz Korczak, diretor do
Orfanato Judaico de Varsóvia, que morreu em 1942, em Treblinka, onde acompanhou duzentas
crianças do seu orfanato do Gueto de Varsóvia, Alemanha, até às câmaras de gás.

Esta exposição remete-nos para o mundo das crianças durante o Holocausto ou a Shoá, onde
aproximadamente um milhão e meio dos seis milhões de judeus assassinados no Holocausto Nazi
eram crianças. Ainda vivas, muitas tornaram-se no sustento da família, dando aos seus pais coragem e
esperança para continuar a sua luta. Esta exposição conta, assim, a história da sobrevivência das
crianças e relata os seus esforços para manter a infância e a juventude.

Composta por cerca de 20 painéis que versam as temáticas dos ‘Campos de Extermínio’, ‘Campos de
Concentração’, ‘Guetos’, ‘Esconderijos’, ‘Orfanatos’, entre outras, a exposição colocou em destaque,
na sua inauguração, num vídeo preparado para o efeito, várias personalidades que tiveram um papel
preponderante durante o Holocausto Nazi, tais como Aristides de Sousa Mendes, Aracy Guimarães
Rosa, Oskar Schindler, Irena Sendler e outros.

Na cerimónia de abertura foi, ainda, lida a mensagem do Sr. Embaixador de Israel em Portugal, Dr.
Ehud Gol, a propósito da instalação desta exposição em Cabeceiras de Basto.

As crianças da catequese também se associaram à iniciativa com uma comovente representação
acerca da sobrevivência das crianças do Holocausto.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara Municipal, Eng. Joaquim Barreto, refletiu sobre o
sofrimento vivido durante o Holocausto – perseguição e extermínio sistemático de judeus – executado
pelo governo nazi, lembrando que “hoje, passados quase 80 anos, continuamos a ver na Europa e no
Mundo ataques às crianças, às famílias e aos mais fragilizados”.

Colocando em evidência o “espírito cristão que impera em Portugal”, Joaquim Barreto enalteceu as
missões de paz portuguesas na defesa dos que mais sofrem. “Nós fazemos parte da solução”, disse.
Por seu turno, o padre Marcelino Esteves afirmou que “esta é uma temática que nos é cara [carinho de
mágoa e lágrimas]” porque “somos descendente do povo de Israel”. E acrescentou: “esta exposição
lança-nos o desafio de adotarmos atitudes concretas de misericórdia” pois a misericórdia “leva-nos a
ter esperança num mundo diferente”.
 

Adicionar comentário

Scroll