Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Câmara apresentou Livro de Atas do III Seminário Internacional na Casa do Tempo

Protocolo de colaboração com a Faculdade de Letras da Universidade do Porto/CITCEM foi renovado

6 de agosto de 2018
Câmara Municipal apresentou Livro de Atas do III Seminário Internacional na Casa do Tempo
Foi apresentado no dia 4 de agosto, na Casa do Tempo, o Livro de Atas do III Seminário Internacional que a Câmara Municipal organizou sob o tema ‘Ora et Labora em Refojos de Basto: espacialidades, materialidades, espiritualidades’, evento que se realizou em junho de 2017 e cujo resultado é agora publicado em livro. A apresentação da obra insere-se no programa comemorativo do 5.º aniversário da Casa do Tempo que termina com um concerto.
No auditório, com lotação esgotada, estiveram presentes os presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves e Eng. Joaquim Barreto, respetivamente, o Diretor Regional da Cultura do Norte, Dr. António Ponte, a Diretora da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Professora Doutora Fernanda Ribeiro, vereadores, presidentes de Junta de Freguesia e membros da Assembleia Municipal, académicos, historiadores e investigadores do CITCEM /FLUP da Universidade do Porto entre muitos outros interessados e estudiosos das questões ligadas à valorização e defesa do Património Cultural, individualidades e representantes de várias instituições e público em geral.

Na nota de abertura desta sessão de apresentação do Livro de Atas do III Seminário Internacional, e depois de agradecer a presença de todos, o presidente da autarquia afirmou que a Câmara Municipal tem “investido na procura do conhecimento para que todos possamos, conhecendo melhor, transmitir aos vindouros o legado que nos foi deixado pelos nossos antepassados”.

Salientando a “colaboração muito especial do CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar “Cultura, Espaço e Memória” para o aprofundamento do conhecimento da história de Cabeceiras de Basto e particularmente da passagem dos Beneditinos por este território”, Francisco Alves falou da importância da publicação desta obra. “Porque é fundamental disponibilizar a todos os que se interessam por esta temática, pela história, pela cultura, pelo conhecimento e saber, editamos esta publicação que guardará para memória futura todas as intervenções e comunicações realizadas no decurso deste terceiro Seminário Internacional”.

Coube ao professor universitário e investigador do CITCEM/FLUP, Pedro Vilas Boas Tavares, um cidadão de Basto, fazer a apresentação do Livro de Atas do III Seminário Internacional. Na oportunidade, o investigador destacou o “esforço da Câmara na promoção cultural e na valorização deste Mosteiro”.

Depois de fazer uma abordagem sucinta aos vários painéis que integraram o último Seminário Internacional, Pedro Vilas Boas Tavares lançou o desafio: “com este Seminário e com todos os estudos que lhe estão associados, estamos a criar de uma forma informal um verdadeiro Centro de Estudos Beneditinos. Seria até bom concretizar formalmente este grupo de trabalho”, considerou o professor universitário.

Na sua intervenção, a diretora da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), disse ser “um gosto para a FLUP estabelecer esta parceria com a Câmara Municipal”, trabalho que tem vindo a ser materializado, também, através da publicação destas obras que são “o fruto” das investigações realizadas pelos académicos. Fernanda Ribeiro falou, ainda, da estratégia da Universidade que tem vindo a privilegiar a ligação à sociedade civil, dando como exemplo o protocolo estabelecido há alguns anos com a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto. A concluir a sua intervenção, a diretora da FLUP felicitou a autarquia pelo seu interesse e investimento realizado na Cultura.

Por seu turno, o Diretor Regional da Cultura do Norte, Dr. António Ponte, enalteceu o trabalho que a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto tem vindo a realizar em prol da valorização e conservação do Mosteiro de S. Miguel de Refojos.

“Patrimonializar é reconhecer, salvaguardar e valorizar”, sustentou o Diretor Regional da Cultura, declarando que “a vigilância e a salvaguarda do património é uma obrigação coletiva”.

António Ponte reconheceu publicamente a importância da realização dos Seminários Internacionais organizados pela edilidade Cabeceirense, encontros estes que têm exaltado o Mosteiro de S. Miguel de Refojos como bem patrimonial.

O Diretor Regional da Cultura louvou, ainda, todo o trabalho desenvolvido no sentido de ver este Mosteiro inscrito na Lista Indicativa de Portugal ao Património da UNESCO, agora como bem em série. Recorde-se que o Mosteiro de S. Miguel de Refojos aderiu à Rede de Mosteiros e Paisagens Culturais Beneditinas que inclui o Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro, Felgueiras; o Mosteiro de Santo André de Rendufe, Amares; o Mosteiro de São Bento da Vitória, Porto; o Mosteiro de São Bento, Santo Tirso; o Mosteiro de São Martinho de Tibães, Braga; e o Mosteiro de São Miguel de Refojos, Cabeceiras de Basto, sob a coordenação da Direção Regional da Cultura do Norte.

Coube ao presidente da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Eng. Joaquim Barreto, encerrar a sessão de apresentação do Livro de Atas do III Seminário Internacional. Depois de felicitar a Casa do Tempo pela passagem do seu 5.º aniversário e de louvar a capacidade de unir e agregar gerações, o presidente da Assembleia Municipal disse: “estou aqui porque acredito. Porque sinto a minha terra e o meu concelho”.

Realçando o “importante trabalho que a Câmara Municipal tem vindo a desenvolver na área cultural”, Joaquim Barreto declarou: “compete-nos a nós salvaguardar o património coletivo, sendo também agentes ativos na construção do saber, registando as nossas tradições individuais e familiares em prol da sociedade vindoura”. E continuou: “conhecendo a nossa cultura e a nossa história, compreenderemos melhor a importância de mantê-la viva na memória, protegê-la e valorizá-la como forma de preservar o que somos, as nossas características, a nossa identidade”.

Exaltando a aposta do Município “na dinamização de ações e projetos válidos e que humanamente tanto nos enriquecem”, Joaquim Barreto, concluiu: “estamos a dar continuidade à valorização da nossa terra, das nossas gentes, da nossa história, do nosso Mosteiro de S. Miguel de Refojos e da nossa identidade, com mais cultura, mais economia e consequentemente mais bem-estar para os Cabeceirenses”.

No final, o presidente da Câmara e a diretora da Faculdade de Letras da Universidade do Porto assinaram um protocolo que renova o já existente celebrado com a Faculdade de Letras da Universidade do Porto/CITCEM - Centro de Investigação Transdisciplinar ‘Cultura, Espaço e Memória’ e que tem como objeto a prossecução de iniciativas dirigidas ao desenvolvimento de investigação histórica, análise do património histórico, realização de atividades científicas e culturais, elaboração de estudos e ações de divulgação junto da comunidade científica e do público em geral, como é o caso do Seminário Internacional, no âmbito da defesa e valorização do Mosteiro de S. Miguel de Refojos.

"Aproveitamos este momento para assinar hoje um novo protocolo que renova essa importante parceria que valorizamos particularmente porque, estamos certos que a defesa e salvaguarda do património imaterial só será bem conseguida e terá bons resultados quando feita por quem sabe”, destacou o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto.

De referir, ainda, que os presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto entregaram um livro a cada um dos participantes neste evento.

Adicionar comentário

Null
Cabeceiras
Yahoo! Weather
  • Null
  • Null
  • Null
  • Null
Scroll