Bem-vindo/a a Cabeceiras de Basto

Conteúdo

Aposta turístico-cultural de Cabeceiras de Basto foi mote de conferência

Cabeceiras de Basto promove-se no Porto

13 de abril de 2018
Aposta turístico-cultural de Cabeceiras de Basto foi mote de conferência
‘Em Cabeceiras de Basto há um Mosteiro de Emoções’ foi o tema da conferência realizada ontem, dia 12 de abril, no Auditório do ISCET – Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo, no Porto. Uma sessão que contou igualmente com a apresentação do programa cultural ‘Mosteiro de Emoções’ a decorrer até julho de 2019.
‘A aposta turístico-cultural de Cabeceiras de Basto’ foi o tema da intervenção do Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, que destacou a forte aposta no Mosteiro de S. Miguel de Refojos. “Verdadeiro ex-libris de Cabeceiras de Basto, de valor universal e único, monumento beneditino que muito gostaríamos de ver classificado como Património Cultural da Humanidade. E foi a partir do momento em que avançamos, em 2014, com a Candidatura do Mosteiro à Lista Indicativa de Portugal ao Património Cultural da Humanidade da UNESCO, que começamos a sentir a presença de cada vez mais turistas em Cabeceiras de Basto. Trata-se de um aumento muito significativo que tem contribuído para a dinamização económica do nosso concelho, quer no que se refere à restauração e ao alojamento local mas também ao comércio e animação turística”.

Cabeceiras de Basto possui um património natural de elevado valor ambiental e paisagístico. Um passeio pelo concelho leva o visitante numa viagem, através do tempo, às pontes medievais de Cavez e Painzela, aos pelourinhos de Abadim e Refojos, ao fojo do lobo da Uz, às inúmeras capelas e casas senhoriais existentes e a todo um conjunto de monumentos de grande valor cultural e patrimonial. Dois terços do território integram o perímetro da Serra da Cabreira e a parte sul do concelho é fortemente marcada pelo Rio Tâmega. Esta conjugação da montanha com o vale conferiu a este território paisagens naturais de extraordinária beleza.

Francisco Alves lembrou ainda o património edificado, aliado à história e à cultura Cabeceirense, como “motivos de interesse turístico que queremos potenciar cada vez mais, certos de que o Turismo é uma indústria que promoverá o território e, consequentemente, a economia local”.

Da aposta do Município em políticas de valorização deste território, do património e dos recursos endógenos resulta a organização de Seminários Internacionais relacionados com a presença dos Beneditinos em Cabeceiras de Basto, ou a organização de eventos desportivos de dimensão internacional, como o Rally de Portugal, entre tantos outros.

Além do Mosteiro de S. Miguel de Refojos e d’ ‘O Basto’, estátua que encerra a história e lenda ligada à bravura e honradez das gentes de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves enumerou outros atrativos culturais como o Museu das Terras de Basto, que integra o Núcleo Ferroviário do Arco de Baúlhe, o Núcleo de Arte Sacra, a Casa da Lã e a Casa do Pão, bem como a Ponte de Cavez sobre o rio Tâmega, monumento classificado, que tem associada a passagem, por Cabeceiras de Basto, do escritor Camilo Castelo Branco. Muito próximo desta ponte, temos uma Pista Internacional de Pesca Desportiva que atrai, todas as semanas, provas e concursos de âmbito regional, nacional e internacional.

O Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto referiu ainda o Centro Hípico e o Centro de Educação Ambiental, uma Pista para Ultraleves, piscinas, pavilhões desportivos e ricas zonas de banho e lazer espalhadas um pouco por todo o concelho, e a recente construção de um verdadeiro Centro Interpretativo do concelho – A Casa do Tempo – também Centro UNESCO, equipamentos que cativam um grande número de utilizadores e visitantes.

Associado a todo este património está uma magnífica gastronomia com produtos de qualidade certificados, como sejam as carnes ‘Barrosã’ e ‘Maronesa’, o cabrito das ‘Terras Altas do Minho’, o ‘Mel de Basto’, os ‘Vinhos Verdes’, mas também a broa, o fumeiro, as compotas, os licores, entre outros, que podem ser degustados em vários restaurantes locais, já referenciados positivamente por inúmeros críticos e publicações. Numa recente publicação sobre os 1.200 melhores restaurantes do país, Cabeceiras de Basto apresenta três restaurantes referenciados.

Francisco Alves foi perentório: “Cabeceiras de Basto tem uma oferta extraordinária e para todos os gostos. Cabeceiras de Basto é um concelho para descobrir, desfrutar e degustar. O Mosteiro de S. Miguel de Refojos tem sido o principal ícone de promoção deste território e, por isso, vai continuar a ser uma aposta da Câmara Municipal. Queremos a partir do Nosso Mosteiro continuar a cativar novos visitantes, dinamizando deste modo o turismo e a cultura Cabeceirense. Cabeceiras de Basto atrai turistas pela sua beleza natural mas também pelo Património, pela hospitalidade e pela gastronomia”.

Apesar do bom serviço que é prestado pelos proprietários das Casas de Turismo Rural, Francisco Alves não hesita em realçar uma lacuna ao nível do alojamento. “Falta-nos um hotel para darmos resposta aos nossos visitantes e permitir que permaneçam por mais que um dia. Por isso, temos vindo a apelar aos investidores turísticos para que olhem para Cabeceiras de Basto, um território com encanto natural, que tem futuro.

A Câmara Municipal tem desenvolvido políticas de promoção do território, mas também outras iniciativas culturais, económicas e sociais que atraem diferentes públicos, dinamizando a economia local. Temos também participado, fora do concelho, em feiras turísticas e outros eventos para dar a conhecer o que temos de melhor”.

‘Mosteiro de Emoções’ oferece 23 atividades em 16 meses

Durante a sessão, o docente do ISCET João Abreu fez a presentação do programa ‘Mosteiro de Emoções’ que decorre em Cabeceiras de Basto até julho de 2019. O programa cultural desenvolver-se-á ao longo dos próximos 16 meses e integrará 23 atividades. Especial destaque para o envolvimento de inúmeros parceiros de Cabeceiras de Basto, desde a comunidade educativa, empreendedores locais, passando pelo movimento associativo e outras instituições do concelho, mas também parceiros externos como universidades, escolas profissionais, orquestras, cooperativas, empresas de dinamização cultural, entre outros.

 Dirigido a um público diversificado, o programa desenvolve-se em três eixos temáticos Cultura/Artes Performativas, Gastronomia/Sabores e Saúde e Bem-Estar que aliam a itinerância, a combinação e a diversidade. Este vasto programa cultural assenta em parcerias alargadas que vão desde as instituições locais a diversas entidades regionais e nacionais.

‘Mosteiro de S. Miguel de Refojos’ é o palco principal

Fátima Oliveira, técnica superior da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, fez uma abordagem histórica ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos, o palco principal deste intenso programa cultural. O Mosteiro de S. Miguel de Refojos continuará a atrair e a seduzir cada vez mais visitantes e turistas, levando o nome de Cabeceiras de Basto bem longe e, dessa forma, contribuirá também para o aumento do prestígio e da imagem de Cabeceiras de Basto.

Apresentação do ‘Projeto Raízes’

A sessão terminou com a apresentação do ‘Projeto Raízes’, dinamizador do potencial turístico de Cabeceiras de Basto e um dos parceiros do programa ‘Mosteiro de Emoções’. Dois licenciados em Biologia, mestres em Engenharia do Ambiente e apaixonados por Turismo de Natureza – Diana e Nuno – são os profissionais ambiciosos e carismáticos impulsionadores do turismo de natureza, iniciativas de montanha, caminhadas, trails, em toda a região de Cabeceiras de Basto.

Adicionar comentário

Null
Cabeceiras
Yahoo! Weather
  • Null
  • Null
  • Null
  • Null
Scroll